segunda-feira, 31 de maio de 2010

i've fucked it all

Estou cansada de fingir que estou bem. Cansada de sempre sorrir. Isso desgasta demais.

Não sou otimista, não suporto otimistas, então por que tento me esconder atras disso?
Oi, tudo bem? De boa e voce? Bem.

Esse diálogo, virará um monólogo, em pouco tempo.
Sim, de fato, já sou por completo um monólogo, mas agora tudo começa a se transformar neste.

Quero ver você, falar contigo, não falar, sentar e ficar sem fazer nada.
Sinto falta das conversas futeis e das complexas. Das noites quase em claro no msn. Do uno!

Quero parar de escrever para você, mesmo sabendo que não lerá, e ao inves disso, dizer-te tudo e resolver isso de uma só vez.
Tento pensar em como seria o dia que te encontrasse novamente.
Entretanto, tento me convencer para não criar expectativas... Em vão.

No momento que tento, vem-me uma tamanha euforia, alegria, um desespero contente só de pensar: "aí está você!"

O que eu faço para trazer você de volta? O que eu faço para te convencer de que eu amo você, e faria tudo para ter-te ao meu lado de novo?
Diga-me, o que quiser e eu faço.

sábado, 29 de maio de 2010

o que fazer...

Lembro de gostar em pensar que os jovens, na década de 60 e 70, queriam mudar o mundo. Queriam arrumar tudo de errado. Idealizavam um mundo onde as pessoas seriam felizes.
Hoje, os jovens querem um carro.

Também gosto de lembrar que eu queria mudar, não o mundo, mas as coisas a minha volta.
Bastava fazer as pessoas do meu ciclo social [se é que tenho algum] pensarem sobre determinado assunto com um pouco mais de desconfiança, crítica...

E agora? O que aconteceu com esse serzinho revoltado? Aconteceu algo que não deveria.
Sei de uma única coisa: não sou mais assim. Estou com raiva de todos, e quanto mais longe de mim, melhor.
Por quê? Simples, percebi que não dava para mudar o imutável.
'People don't change'.
Além de depositar tudo em você e me decepcionar depois. Isso foi a gota d'água.
Foi o suficiente para odiar todos e tentar mantê-los longe de mim.

Entretanto, pensava ter acordado, e tentado voltar a ser aquele 'serzinho'... Tentei conversar de novo, fazer 'amigos' de novo, em vão. Às vezes já era tarde demais.
1- Precisava, mas não tinha vontade
2- Não adiantaria pois, as pessoas não me bastam mais, nenhuma delas era você. Então que diferença faria?

Resultado? Nenhum
Apenas aquele de: Estou desesperada. 7 meses e 4 dias que não te vejo.
E se você aparecer? E se eu, por ventura, te encontrar? Como vou reagir? Como vou ficar?
Apavorada, feliz, confusa, estranha, com medo, alegre, arrependida.. tudo isso e mais um pouco
Sei que estarei a mil. E não conseguirei ao menos falar contigo.

Alias, sabe melhor que todos sobre a minha preferência de escrever a falar.
No momento, torno-me minha pior inimiga.

música...


Dizem que música é fundamental...
Eu digo que é essencial... Que é necessária.

Algo capaz de mudar seu humor drasticamente, de infeliz para o mais alegre... Se bem que a recíproca tambem é verdadeira.
Meo.. conheci o Kiko Loureiro! *-*
o kiko, tipo, O cara!

depois de conhecer o Tito Falaschi e o Heleno Vale, achei que já estivesse de bom tamanho para 16 anos de vida.. mas dai.. Uoooooooooooouuuuuuuuuuuuuu... O Kiko
Assim que receber as fotos, posto!

Absurdo o sesc estar tão vazio, para um show desse, porem, isso foi bom... Dava para vê-los perfeitamente! ._____________________.

terça-feira, 25 de maio de 2010

AEEEEEEEEE


Aeeeeeeeee
Jardim Cultural.. dia 06 de junho!!!
Às 16h
No Espaço Rômulo Cavalcante... É atras do Cemitério da Av. Castelo Branco.. u.u

Os ingressos, para comprar adiantado.. É lá no Café Evoé- [perto ali da praça portugal.]
R$ 7,oo
E se comprar na portaria, no dia.. É R$ 10,oo

Hum...
informações bonitinhas, e formais...
http://jardimpontocultural.blogspot.com/
ou..
http://twitter.com/JardimCultural
ou..
http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=12104120151457122890&rl=t

ahh é só.. tem mais uns 8497249 de links.. mas esses já ilustram bem o projeto!
apareçaaaaaaaaaaam lá!

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Apenas outro texto.

Duas coisas que todos deveriam saber sobre mim, antes de conversar comigo, ou estabelecer qualquer tipo de relação.
A primeira é que odeio pessoas. E a segunda é que elas também me interessam.

Odeio-as pelo fato de não suportar ter que ser e estar ali o tempo todo, não suporto a idéia de que preciso delas e não suporto a certeza que tenho de que realmente necessito de algo que não está ao meu controle.
É sempre mais fácil odiar as coisas. Assim não me decepciono.
exemplos: se não espero você me ligar, não sofrerei por isso. Se não esperar nada, absolutamente nada de você, encaro e fim. Sem dor, sem decepção, sem frustação.

Mas elas me interessam, pois são... Simplesmente são. Gosto de olhar alguém e começar a hipotetizar como é tal pessoa, sentimentos, humor, medos, qualquer coisa que seja perceptível.

Tento entendê-las, para ver se chego a uma conclusão lógica para ter errado tanto contigo. Para ver se compreendo como eu sou e como você realmente era.

Porém de forma alguma esse interesse vai se externar de mim. Não, isso nunca! Por dificil que seja para descobrir o que quero, não irie perguntar, tampouco dizer oi.
Porque se o fizer, de repente posso cometer o mesmo erro.
Posso me apaixonar de novo e me decepcionar depois.

Noto o que venho fazendo comigo, fui capaz de deixar meu cachorro ir embora, para não sofrer depois. Capaz de acabar com todas as minhas amizades, para que não me frustasse com algum possível problema...
Estão tão... egoísta. Tão... fechada. Que não me importo mais com ninguem a minha volta.
Tudo isso, só para não sofrer de novo!

"Amor, veja bem
Arranjei alguém
Chamado saudade"

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Pensamentos estagnados de uma mente ambulante

Esses dias eu estava pensando em...
Como adolescente é chato! Como eu sou insuportável!

Nem eu me suporto. Fato.
Mas além dessa falta de paciência, percebi que sou revoltada. Não aquela revolta normal de adolescente normal, que faz merda para chamar atenção... Não... fiz isso muito antes. Sou revoltada com o mundo e comigo.

Não suporto a [des]organização das pessoas e do mundo, a forma como tudo está e como tende a permanecer, já que ninguém faz nada!

Então, penso mais um pouco, e chego a conclusão, bem notável por sinal: a vida é uma bosta! Tentamos escapar da nossa mísera rotina, e acabamos criando outra para o escape.
Até a fuga virou uma rotina!

Final de semana eu saio, volto, toco violão, durmo. Fim.
Na semana, escola, casa, nada, dormir, escola, casa, tarefa, nada, dormir! Ufa!

Porém, quando falo isso às pessoas, elas me chamam de louca, estranha e afins. Ainda me pergunto, quem é mais estranho, aquele que nota a alienação em que vive, ou o que vive em pró dela e é apenas uma personagem?

Não sei, de fato, o segundo é mais 'feliz'. Mas já desisti de procurar a felicidade e designá-la ao meu projeto de vida... É superficial mesmo.
/bah
vou dormir
kkkkkkkkkkkkkk

domingo, 16 de maio de 2010

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Poeminha u.u

Saudade...
Saudade de você, do Apolo...

Saudade dos 'tempos que não voltarão mais'.
Frase clichê... Porém, útil.
[...]
Vento que levou você para lá
Você. Voa. Volta. Vai e vem.
Para perto de mim,
mas do lado de alguém.
Desde que chegue sem fim.

Voa. Vai. Você vem. Volta
Diga-me que estou sem,
Olha, choro à escolta
Vejo-te cada vez mais além.

Vem. Volta. Você voa. Vai
Escuta-me te gritar
O dia não nasce e a noite cai.
Peça-me então, para não te amar.

Volta. Você vai. Vem. Voa
Diz que distoa
Faz que me perdoa
Deixe-me colocar a coroa
[...]
Para que volte a viver numa boa (t1)

quarta-feira, 12 de maio de 2010

sem criatividade para o título

Hum...
Muito tempo sem escrever...

Fi-lo para não dizer a mesma coisa de sempre. [obs: 'fi-lo' foi de doer haha]


Mas, enfim, aqui estou, de novo... Mais uma vez...
Sobre o que?
Não sei...


Cheguei a uma simples e óbvia conclusão esses dias: sou chata!
Nem eu me suporto, como os outros suportariam?
Odeio pessoas, odeio me expor, odeio sentir coisas na hora errada. Não nego que esse ódio é uma espécie de medo, entretanto, pode ser um medo encorajado.

Uso-o para me manter longe do 'mundo das pessoas em geral'.
Abuso da minha ironia e sarcasmo para me afastar cada vez mais das obrigadas relações... da socialização...

Com isso, acabei criando um conceito de que o homem é miserável... Em todos os fatores, em todos os aspectos.

Somos miseráveis quando amamos, quando choramos, quando odiamos, quando tentamos ser solidários... Simplesmente somos miseráveis...
Nenhum sentimento alheio é isento de interesses e futilidades.


Irrito-me! Sou assim também. Não quero. Aceito. Reluto. Nego-me. Perco!
De tanto negar os interesses, criei várias máscaras, uma para cada ambiente. Nada ligado à personalidade, mas sim, às responsabilidades e, principalmente, ao modo como arco com elas.
Nada ligado aos sentimentos, mas sim ao jeito que os sinto, como, onde...

Assim faço e pretendo continuar fazendo, até que essa minha mania de odiar e rejeitar pessoas acabe comigo!
[ou, até que eu perceba que nem todos são iguais a você e, por isso, não devo ter medo de envolver com os seres pensantes e falantes- mas isso é bem improvável]

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Bodas de Plantina!


Hááá! 100 postagens!
Não tenho nada alegre para escrever...
Com excessão disso ai do lado! <<

Minha sala é demais!
kkkkkkkkkkkkkk
Achamos em 40 minutos 120 palavras engraçadas, feias, estranhas...

Hum... vamos lá.. vou colocar as que eu lembro..
bigode, jujuba, edredon, pudim, fronha, muito, picles, basquenada, labirintite, abajur, abacate, peido, tapashdiuadher, soco, ervilha, amendoim, narina, anus, porra, bosta, merda, franja, gorfar, garimpeiro, galanteio, arroto, umbigo, piroca, vsf, pseudo, almondega, desgostoso, celulose, tetinha, azeitona, coco, estrôncio, função, abobora, catarro, suvaco, nojento, abobrinha, panturrilha, escroto, pimentão, joelho, médio, lamparina, walkman, cocô, mamão, gringo, banana, berinjela, flagelo, esporo, milho, horrorosa, estranho, esquisito, piolho, cacto, endub(i)tavelmente, inconstitucionalicimamente, ovo, abominável, rato, tênia, tosse, asma, cadáver, pancada, critério, bilhar, maionese, mexilhão, baunilha, folha...

e não lembro mais...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

quarta-feira, 5 de maio de 2010

it doesn't matter

Eu tentei.
Tentei convencer você a voltar. Não quis. Tentei pedir-lhe desculpas. Não aceitou. Até te implorei. Nada. Nada. E, nada...

Então percebi, que não importa o que eu faça, o que eu diga, não mudará de ideia, não voltará para mim. Não voltará a ser a melhor pessoa que já entrou na minha vida, mas ao mesmo tempo, a pior, por sair dela.

Ninguém conseguirá preencher o vazio que você me deixou. E eu, nunca tentarei extinguí-lo, pois é a minha melhor lembrança de ti. Sentirei saudade, para sempre.

O Apolo se foi. Você se foi...
As pessoas estão começando a ir embora...
E, pela primeira vez, posso dizer que a solidão não é tão boa quanto antes.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

the little things

paramore - the only exception.mp3
Found at bee mp3 search engine


É... essa é bonitinha
hihihi

Hunf, tem certas coisas que não foram feitas para serem descobertas...
Será que é assim contigo? E com esse seu jeito?
Que é totalmente diferente do meu, mas me envolve e me intriga cada dia mais...

Jeito que até me incomodava, mas que com o tempo, passou a me deslumbrar.
Modo como você mexe a cabeça enquanto fala coisas engraçadas, como muda o tom de voz...

Jeito como me olhava quando queria dizer: "tem algo errado e não sei o que é dessa vez". Ou quando me olhava, com o 'pedido' : "celularr, jogo das bolinhas"

...
'Only exception'

domingo, 2 de maio de 2010

Perguntinha

Hum...
Qual a diferença entre verde limão e amarelo fluorescente?! oO'
...

sábado, 1 de maio de 2010

Você está perdida. E eu me perdi, tentando te achar.

E essa foi a única conclusão que tirei.
Você sempre esteve perdida... E eu me perdi na ilusão de te reencontrar. Fato.